Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 4 de julho de 2009

Capítulo 6 - Um romance Turbulento

No outro dia, Harry abriu os olhos e se perguntou se tudo fora um sonho.Porém, ao vestir sua roupa, sentiu um cheiro leve e suave e notou que tudo fora real.Sorrindo, ele se vestiu e se foi para a sala comunal.
Chegando lá, viu Rony e Annie conversando perto da lareira e Hermione lendo um livro.Ao vê-lo, Annie se levantou, se enroscou em Harry como uma serpente e lhe deu um beijo.Ele buscou Rony com o olhar.Parecia, não chocado nem nervoso: mas um tanto triste e desapontado.Hermione, por outro lado, parecia extremamente satisfeita.Ela disse:
- Vamos descer para o café?
- Vamos – Respondeu Annie.Pareceu meia em dúvida e acrescentou – Vá na frente.Já encontramos vocês – Quando Hermione e Rony desapareceram pelo buraco do retrato, ela se virou para Harry – Tudo bem não é?
- Por quê? – Ele estava confuso.
- Olha, ontem á noite você estava aos beijos com a Gina no jantar, e hoje vai estar comigo! Se quiser, eu posso agir normalmente.
- Por quê está me perguntando isso?
- Ora, use a cabeça Harry! Malfoy...Bem...Ele...Não sei se viu...
- Vi.Tá falando do encontrão que ele deu em você no Salão né? É eu percebi que ele estava gostando de você. – A idéia o aborrecia profundamente.
- Não era exatamente isso, mas se quer colocar assim...Bom, se ele gosta de mim, vai ficar com ciúmes e obviamente vai fazer de tudo para te constranger.É isso que quero dizer.Quer realmente que eu vá com você e que eu aja como sua namorada?Ou prefere que eu vá e aja como sua amiga como antes?
Harry nem ao menos pensara nisso, mas decidiu-se instantaneamente.Segurou as mãos de Annie entre as dele, olhou-a nos olhos esplendidamente castanhos e brilhantes e disse:
- Eu quero ir com você como namorada, é o que você é. Não tô nem aí para o quê o Malfoy disser.Eu te amo e vou estar com você ao meu lado.Isso é tudo que importa.
- Nossa...Nunca uma pessoa falou uma coisa dessas pra mim... – Ela sorriu – Que bom que pensa assim!Vamos?
- É claro – E saíram do Salão Comunal de mãos dadas.
Quando chegaram as portas do salão Principal, Todos os olhares se concentraram neles.Harry Potter e Annie Granger?Juntos?
Mas foi Malfoy que Harry buscou pela mesa da Sonserina, onde o falatório era maior.Ele olhava para os dois de boca aberta e parecia triste.Logo que se recuperou do choque, ele gritou:
- Hey Potter! Você tem mesmo mal-gosto!Primeiro uma traidora do sangue, depois uma sangue-ruim?
- Pois é – Disse Harry – Mas a não ser que a minha memória falhe e minhas lembranças não estejam muito nítidas, você também ficou...Meio...
- Balançado – Disse Annie.
- Isso.Balançado por essa suposta sangue-ruim.Estou certo Malfoy?
De fato, Harry nunca vira o rosto pálido de Malfoy tão vermelho.Harry teve que se segurar para não cair na gargalhada ali mesmo.Malfoy fez uma corajosa tentativa de envergonhar Harry.
- Não inventa história Potter!Embora seja seu forte, é claro.Inventar histórias para aparecer!
- Está dizendo que eu inventei isso?Então...Hum...Vamos ver.Hermione, Rony, venham aqui um minuto.
Rony e Hermione, que estiveram rindo feito loucos á mesa da Grifinória se levantaram e foram até Harry e Annie, ambos rindo sem parar.Quando estavam á dois ou três metros de distância, Annie fez sinal para pararem.Harry perguntou:
- Vocês acham que eu inventei?
- Não.Qualquer um que tenha visto o encontrão teria notado.Os menos tapados pelo menos – Disse Rony, olhando instintivamente ara Crabbe e Goyle, com um sorriso malicioso.
- Ótimo.Hermione...?
- Concordo com Rony.Qualquer pessoa com o juízo perfeito teria visto.- E sorriu para Pansy Parkinson, que parecia querer chorar.
- Bom, acho que isso esclarece tudo – E saiu com Rony, Hermione e Annie para a mesa da Grifinória.Malfoy agora estava escarlate de fúria e vergonha.
- Genial! – Disse Rony.
Eles tomaram o café e se foram para os jardins, onde ficaram rindo de tudo isso.Um pouco depois, Gina apareceu e perguntou se poderia falar com Harry e Annie.Parecia nervosa, mas decidida.Eles se levantaram e a seguiram.
- O quê houve? – Annie perguntou
- Posso pedir á você uma coisa?
- Claro.
- Um instante Harry – E se afastou com Annie.Três minutos depois, Gina retornou sozinha – Por quê se recusa? – Ela perguntou a Harry.
- Me recuso a fazer o quê?
- A me dar um beijo de despedida!
- Por quê isso não faz o menos sentido!
- Claro que faz!
- Só se for pra você. – Harry resmungou, irritado.
- É. Pra mim faz mesmo! – E foi se aproximando de Harry.Seus lábios se tocaram.Ela abraçou Harry como se não quisesse soltá-lo nunca mais.Harry tentava se desvencilhar, mas não conseguia.
Um barulho confirmou o que Harry temia.
Parada no fim do corredor estava Annie.Pelo jeito estivera na biblioteca, pois acabara de derrubar uma grande quantidade de livros.Harry empurrou Gina e se virou para Annie.
- Ann, por favor...
- O quê? – Ela falou no seu tom mais suave e perigoso.
- Me deixa explicar.
- Explicar o quê!Está tudo explicado!Sabia que era como os outros!Eu sempre me iludo com as pessoas! – Seus olhos castanhos brilharam ainda mais com as lágrimas que marejavam seus olhos.
- Ann...
- Não encosta em mim! – Ela berrou, quando Harry tentou retê-la pelo braço – Aliás, não fala mais comigo ok?
- Annie! Por favor!
- Já disse que não!
E saiu deixando Harry e Gina sozinhos.Ela parecia horrorizada.Certamente não esperava que Annie visse.Harry se virou e lhe lançou um olhar de puro ódio antes de sair atrás de Annie.
Ela caminhava á sua frente muito depressa.Ele corria, mas de alguma forma não a alcançava, pois esbarrava a toda hora nos colegas.Quando deu por si, já estava no corredor da Mulher Gorda, e o retrato já estava fechando.Ele correu mais rápido, mas não chegou a tempo.
- A senha? – O quadro pediu.
- Bolas festivas! – Ele gritou.Na sua pressa, ele se espremeu pelo buraco antes de este se abrir por inteiro e ouviu as reclamações da Mulher Gorda, embora não prestasse atenção.Ele parou derrapando perto da lareira e perguntou para Rony:
- Você viu a Annie?Ela estava muito brava?
- Provavelmente, porque passou por aqui muito depressa e não falou com ninguém.Ela foi para o dormitório. – Ele indicou a escada, apontando por cima do ombro.
- Mione! – Berrou Harry quando a garota desceu dos dormitórios – A Annie...
- Precisamos conversar – Disse ela formalmente, e pegou Harry pelo braço a puxou-o até o retrato que ainda resmungava.Harry tentou se soltar, mas ela lhe lançou um olhar muitíssimo aborrecido e só o soltou quando chegaram na biblioteca, onde ela começou a sussurrar zangada.
- Que história é essa?
- Só te conto se for em outro lugar.Detesto a biblioteca para conversas.
- Ok – E saíram – Agora me explica tudo.Que história é essa?
- Bom, Gina...
- A culpa é da Gina? – Mione estava muito aborrecida.
- É. Ela chegou pra nós e nos chamou, como você viu – E narrou tudo o que acontecera.Quando terminou, Hermione tinha uma expressão intrigada.
- Por quê ela fez isso?
- Não sei.Mas e a Ann?Como ela está? – Ele estava muito preocupado.
- Triste é óbvio!Eu sei que ela talvez me odeie por isso, mas eu vou falar assim mesmo.Se você ouvisse, entenderia. – Ela suspirou e começou a falar:
“Desde o primeiro dia que ela fala em Harry Potter. Falava como te acha gentil, legal, bonito. Não imagina a felicidade dela quando me disse que estavam namorando. Ela falava muito mesmo. Dizia o quanto queria ser sua namorada e o quanto ficou feliz por ter conseguido. Dizia que nunca se sentira assim com outro garoto. Que você era especial”.
- Eu penso a mesma coisa dela! – Exclamou Harry.
- Mas, esse é o maior segredo, não sei se devo... – Ela olhou hesitante para Harry como se pedisse ajuda.Por fim, depois de um aparente combate interno doloroso, decidiu - se – Bom, eu te conto se prometer nunca dizer a ela.Ela não pode sequer imaginar que eu vou te contar isso ok?
“Bom, ela é muito bonita, como você mesmo viu. Nossa avó era veela, e como nascemos nós duas, somente uma poderia ter esse dom, os genes só se reproduziriam em uma e como você viu, foi ela. Ela contou que todos os garotos se encantavam por ela em Beauxbatons, mesmo que só se vissem no intervalo e nas refeições. Vários garotos pediram para namorar ela e ela não tinha idéia do que era, aceitava. Mas assim que eles começavam a ficar juntos, eles pareciam acordar de um transe. Não tardou pra ela notar que tudo não passava de um simples desejo que tinham por ela. Daí ela nunca mais namorou ninguém. Você é o primeiro que ela considerou, pois pareceu realmente gostar dela, ela me confessou isso. Não me surpreende que ela esteja tão arrasada agora. Está confusa”.
Harry estava de boca aberta.Jamais imaginara isso.Quando se recuperou do choque, perguntou:
- O quê ela disse pra você lá em cima?
- Na verdade não entendi muito bem, mas estava na cara que ela estava se culpando. – A garota enrugou a testa.
- Como assim?
- Dizia que ela era burra de acreditar que dessa vez era diferente.Depois não entendi mais nada por quê ela se jogou em cima da cama de cara no travesseiro e abafou tudo o que ela disse depois.Você não faz idéia do mal que fez pra ela não é? – E ela encarou Harry de um jeito que o garoto só vira Malfoy fazer: Um olhar de puro ódio, e se o garoto bem notava, desprezo.
- O quê?Não adianta me olhar assim! Não fiz nada! – Exclamou ele, indignado.
- Mas ela pensa que fez!E a não ser que Gina confesse, o que eu duvido, pois ela considera a Ann muito importante, você vai ter que provar.
- E como é que eu vou fazer isso?
- Não sei.Vai ter que se virar. – Ela disse com indiferença.
- O quê? Qual é Mione!Dá uma forcinha!
- Posso tentar, mas não vai adiantar muito já que eu não estou tentando reconquistar a minha irmã.
- Mione pára com isso!
- Isso o quê?
- De ser tão fria comigo!
- Ok...Tem razão.Desculpe. – Ela pareceu realmente arrependida de ter sido tão rude com o amigo.
- Tudo bem.Vai me ajudar?
- Vou tentar.
- De verdade?
- Uhum. – E sorriu.
- Valeu – Disse Harry, sorrindo.
Eles seguiram pelo castelo em silêncio.Harry desesperado.Hermione pensativa.Se despediram na sala comunal, pois Hermione fora se deitar.Um pouco depois, Harry subiu com Rony e, apesar das freqüentes perguntas sobre o quê havia acontecido disparadas pelo amigo, a única coisa que Harry disse foi boa-noite antes de se deitar e puxar o cortinado de sua cama.
=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=
Ele acordou na manhã seguinte desejando que tudo não tivesse passado de um pesadelo.Mas não, fora real.Ele entrou na Sala comunal e Annie imediatamente se levantou e se retirou, ignorando os pedidos de Hermione para que ficasse.Quando esta se levantou e fez menção de acompanha-la, ela lhe lançou um olhar aborrecidíssimo e se retirou enfurecida.
- Acho melhor eu ir atrás dela – Disse Mione.
- Não, deixa que eu vou. Eu acho que sou o único que não tem nada a ver com isso – Disse Rony.Harry encarou o amigo.Um monstro despertou dentro dele e rugiu enfurecido. Queria bater em Rony, pois Harry sabia o quê se passava por sua cabeça, e queria impedir de qualquer maneira...
Quando Rony se levantou e passou pelo buraco do retrato, Harry o acompanhou sem nem ao menos piscar, como um predador que acompanha sua presa.Foi despertado de seu transe por Hermione:
- Harry? – Ela chamou hesitante – Tudo ok?
- Uhum.Mione, eu vou...Descer até o Salão.Quer vir?
- Não.Não quero que o Rony me pegue vigiando – E lançou a Harry um olhar em que se misturavam repreensão e compreensão.O garoto acenou, deu um breve sorriso e se retirou.
Quando o retrato girou, ele saiu em disparada pelo corredor.Achava que sabia onde eles estavam.Ele mesmo já se abrigara várias vezes ali antes quando queria se afastar de tudo...
Parou derrapando em frente à biblioteca.Descansou um pouco antes de entrar.Estava muito ofegante e não pretendia ser ouvido.Após cinco minutos, Harry entrou silenciosamente e espiou entre as estantes.Não demorou muito, ele os encontrou.Annie estava enroscada em uma cadeira e olhava para um livro aberto diante dela.Ela não poderia estar lendo, pois seus olhos estavam desfocados e não se moviam.Ele se inclinou ligeiramente para a esquerda e viu Rony sentado ao lado dela dizendo coisas que Harry não entendia.Ele apanhou um livro, escondeu a cara nele e se aproximou para poder ouvir.
- Ann me escuta.Eu conheço o Harry faz muito tempo e eu sei que ele nunca seria capaz de fazer isso com ninguém.Muito menos com você!
- Por quê?Ele fez isso uma vez!
- Mas até a Gina já sabia!Ela ficou conformada!Ela falou que sabia que isso ia acontecer mais cedo ou mais tarde!E não o culpava, por que você é linda, legal, inteligente... – Nesse ponto, Rony corou loucamente, ficando quase tão vermelho quanto seus cabelos.
Annie deu um sorrisinho de compreensão para Rony e disse:
- Nossa...Muito obrigada.Nunca imaginei isso de mim...
- Não?
- Não
- Que estranho...
- O quê é estranho?
- Você não se achar assim.Bonita, inteligente...
- Hum...Tem certeza de que foi a Gina quem disse? – Ela falou, com astúcia.
- Hã...Tenho.Claro que tenho! – Ele parecia envergonhado.
- Tá, eu acredito – E deu um sorriso – Obrigada Rony.Você é o único que está ao meu lado.
- A Mione também.
- Sim, mas é bom ter mais alguém...
Rony fizera um movimento.Harry baixou o livro um nada.A mão de Annie descansava sobre o livro.Rony erguia a dele.Harry sabia o que ele ia fazer.E acertou.Momentos depois, a mão de Rony estava sobre a de Annie.Ela ergueu os olhos e se levantou como se tivesse tomado um choque.Rony estava muitíssimo vermelho agora.Além de vergonha, Rony parecia estar contendo com muita dificuldade alguma coisa que queria dizer.Pouco depois, ele não conseguiu mais se conter e disse bem alto no momento em que Annie saía da biblioteca:
- Por quê me trata assim?
- Hã? – Annie se virou e encarou o ruivo parecendo confusa – Não entendi, eu te tratei mal?
- Não finja que não sabe!
- Eu não sei!Olha Rony, você é um ótimo amigo e...
- Esse é o problema!Não quero ser um amigo!
- Como assim?
- Assim – E puxou Annie pelo braço e lhe deu um beijo.Harry sentiu uma onda de fúria percorrer o seu corpo.Queria machucar Rony da pior maneira possível.Queria destroçá-lo.Finalmente, depois de alguns segundos (Para Harry pareceram horas), Annie se desvencilhou de Rony.Este estava extremamente vermelho, mas não parecia arrependido nem nada.Pelo contrário.O quê aconteceu depois fez Harry usar todo o seu controle e um pouco mais para não voar em cima de Rony ali mesmo.Ele puxou Annie pelo braço novamente, com um pouco mais de delicadeza, encarou-a nos olhos e disse como se para isso precisasse reunir toda sua coragem:
- Quer ser minha namorada?
Annie apenas o olhou, ainda um tanto chocada com a atitude de Rony.Ela estava ofegante e o encarava como se não acreditasse em uma só palavra.Segurou as mãos do ruivo entre as suas, para acalma-lo um pouco, olhou bem fundo em seus olhos.
- Bom, com o Harry não tem mais jeito – Disse mais pra si do que para Rony.Mesmo assim, ele notou uma pequena nota de amargura em sua voz – Mas sinto muito Rony.Não.Não por enquanto pelo menos.
- Ok – Ele pareceu constrangido – Bom é melhor irmos para a Sala comunal não é? – Resmungou ele, soltando suas mão das da menina (Ainda que Annie não as estivesse segurando com força, Rony pareceu precisar de toda sua força para se soltar).
- É. Vamos. – Ela suspirou.
E os dois saíram.Harry desejou mais do que nunca ter sua Capa da Invisibilidade com ele.Mas, pensou ele, “eu posso espiona-los pelas passagens”.E assim fez, foi acompanhando os dois pelas passagens do castelo que conhecia tão bem.Rony parecia muito constrangido, mas ainda assim, decidido a fazer alguma coisa a mais.Annie parecia extremamente chocada com a atitude do ruivo.Quando chegaram ao buraco do retrato, Harry se adiantou, mas pensou melhor.Talvez eles imaginassem o que andara fazendo.Por fim, decidiu-se por ficar na biblioteca.
Quando chegou lá, ficou olhando pelas estantes as mesinhas que se estendiam pelo corredor atrás.Visualizava a cena cada vez que passava por uma delas.Até que deu um encontrão em alguém que com certeza levava uma braçada enorme de livros, pois ele ouviu um barulho de coisas pesadas caindo no chão.
E estava certo.Hermione estava caída de costas para o chão e pareceu extremamente surpresa ao ver Harry por ali.
- Desculpe, você está bem Harry?
- Estou, não estava carregando esses livros.Deixa eu te ajudar. – E ambos começaram a recolher os livros.Quando os depositaram na mesa, Hermione fitou Harry por uns momentos.Por fim, perguntou.
- Aconteceu alguma coisa?
- Não, eu tô legal. – Mas Hermione deve ter notado que era uma deslavada mentira, por que o encarou com aquela expressão de eu-sei-que-é-mentira-trate-de-me-contar-a-verdade-agora-mesmo tão conhecida do garoto que ele não resistiu – Ok, não tô bem!Você bem que me disse que Ann era meia veela.
- O quê isso tem a ver?
- Bom, é que agora a pouco – E narrou tudo o que acontecera para Hermione.Esta ouviu tudo com atenção.E quando Harry terminou, ela estava com uma expressão que se misturavam fúria e choque.
- Tem certeza?
- Claro, eu mesmo vi.E é melhor me manter afastado do Rony.Não sei o que posso fazer se me aproximar demais dele... – Ele disse entre os dentes.
- Ok.Bom, eu vou aos jardins.Quer ir comigo?
- Claro, vamos – E os dois saíram para os jardins nublados da escola.Harry não conversou com a amiga.Tampouco esta se dirigiu á ele.Eles somente caminharam pela neve fofa.
- Vamos ver o Hagrid? – Sugeriu Hermione.
- Vamos.É até melhor. – E os dois abriram caminho pela neve até a cabana de Hagrid, que ficava na orla da Floresta Proibida.
Quando os garotos bateram, Hagrid abriu a porta e, ao vê-los, declarou com uma certa seriedade:
- Que bom que vieram.Queria mesmo falar com vocês.E com Rony também.Ele veio com vocês?
- Não.O que quer falar conosco Hagrid? – Disse Hermione.O amigo se sentou, deu um longo suspiro e por fim, declarou:
- Annie.
- O que tem ela?
- Ela se sente solitária.Deixada de lado.
- Mas... – Começou Hermione, mas Hagrid a fez parar com um breve aceno de sua mão enorme e continuou:
- Ela diz que nada dá certo pra ela.Que você – E se virou para Harry.Ele nunca vira um ar tão aborrecido no rosto do amigo – A traiu.Harry, eu nunca esperei isso de você!Jamais!Se alguém me dissesse eu diria que a pessoa havia bebido quentão demais.Ah Harry! Se você soubesse o mal que fez para ela coitada!Tem vindo me ver muito ultimamente.Sempre chora, a pobrezinha.Diz que não sabe o que fazer e que se odeia por ter sido tão burra.Coitada, passa o dia todo aqui comigo.É uma ótima pessoa.Vem aqui e mesmo chorando muito, ainda me faz dar umas boas risadas.Me ajuda a cuidar da horta e, por vezes, vai á floresta comigo.Está carente, a Ann.Pode me explicar isso Harry?
- Bom, tudo começou há uma semana atrás.A Gina chegou e nos chamou para uma conversa.Mandou Annie para a biblioteca e depois... – Harry não conseguiu continuar.Por isso, Hermione o fez.Quando terminou, Hagrid parecia intrigado.Mesmo assim, fez mais uma pergunta:
- Bom, Ann disse alguma coisa sobre o Rony.O quê podem me dizer sobre isso?
- Que o Rony beijou a Annie. – Disse Mione, olhando para Harry pelo canto do olho, para ver sua reação.
- Bom, ela me disse que está confusa.E que... – Ele hesitou – Ela disse, por favor, não contem pra ela!Disse que ainda gosta de você Harry.Que o ama.Que sente sua falta.E que não acredita que você tenha realmente feito aquilo.Mesmo assim, não tem como provar.Eu sugiro que converse com ela.
- Eu tento!Mas todas as vezes que eu me aproximo ela foge! – Apesar da amargura em sua voz, Harry não pôde deixar de sentir uma gotinha de esperança aflorar dentro dele.
- É claro.Ela me disse que não consegue mais ficar perto de você por mais que queira.Ela sempre se abriga em algum lugar.Em um banheiro, na biblioteca ou aqui comigo todas as vezes que o encontra.Pra chorar.A Ann é uma garota muito forte.Já passou por coisas que metade dos aurores do Ministério não tiveram coragem de enfrentar.Mas ela disse que não agüenta.Que achou que com você era diferente.Ela já passou por muito, a Annie.
- Hagrid, pode me ajudar? – Disse Harry, quase suplicando – Eu acho que não vou...
- Conseguir?Harry, você já passou por um dragão! – Disse o gigante, que, apesar de aborrecido, parecia ter se divertido.
- Mas é diferente.Não quero machuca-la mais.Por favor.
- Tá bem.Eu vou ajudar você.Vou marcar um encontro entre você e ela.Mione, preciso de você.Quero que traga Ann aqui amanhã.Antes, dê uma passada aqui para combinarmos tudo.
- Ok.Bom Hagrid, acho melhor eu ir ver como a Ann está.
- Como uma irmã faz com a outra – Disse Hagrid, com um sorriso de aprovação – Harry, acho melhor você ficar aqui mais um pouco.Ann vai fugir se vir você.
- Tem razão.Mione, a gente se fala depois.
A garota acenou com a cabeça, deu um breve sorriso e saiu da cabana.Os dois que ficaram observaram a garota correr pela fenda que haviam aberto na vinda pra cabana em direção ao castelo.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Capítulo 5 - O beijo

Harry acordou na manhã seguinte um tanto nervoso.Não sabia como contar á Gina.Decidiu se arrumar e descer para o café.Passou pela sala comunal e viu Annie e Mione conversando.Annie disse um alegre “Bom-dia Harry!”.Ele corou loucamente e murmurou um “Bom-dia” inaudível e saiu o mais depressa que pôde pelo buraco do retrato.
Era um sábado bonito e ensolarado.Harry decidiu comer uma coisa rápida e foi-se para os jardins.Olhou na direção do campo de Quadribol.Dali á pouco estaria indo pra lá.Iria voar novamente.Sentou-se embaixo de uma faia á beira do lago e pensou.
Como Gina reagiria?E principalmente, como Rony iria reagir?Ele não sabe quanto tempo ficou ali.O caso é que Gina se aproximou dele, o beijou e se sentou ao seu lado.
- Dia bonito- Disse ela –Ouvi dizer que Annie entrou pro time de quadribol, é verdade?
- É. Falando nisso, temos treino mais tarde.Vá avisar á Annie, por favor.
- Por quê você não avisa? – Perguntou Gina.
- Eu...Tenho que ir ao campo, checar tudo.
- Ah...Ok, eu aviso – E saiu.
Harry não teve escolha senão ir mesmo até o campo de Quadribol.O dia estava lindo, sem nuvens e o sol não estava muito forte, o quê significava que a visibilidade seria boa.O campo estava firme, um bom impulso inicial.Harry baixou os olhos para o pulso.Já era quase hora do treino.Decidiu ir para o vestiário se aprontar.Ele entrou, se vestiu e se deixou ficar sozinho na sala do capitão, esperando os outros jogadores quando Rony entrou.
- Tudo bem?- Perguntou.
- Claro.Por quê?
- Nada...Estava com uma cara estranha...
- Tô legal - Mas Harry entendeu a razão da pergunta de Rony.Estivera pensando em Annie e Gina.As duas trabalhando juntas...O quê aconteceria se Harry terminasse com Gina pra ficar com Annie?
Quando todo mundo chegou e se aprontou, cinco minutos depois, Harry saiu e deu uma idéia geral do programa de treinamento.Depois, todos foram em direção ao campo, as vassouras ao ombro.E levantaram vôo.Harry foi mais alto que todos devido á força com a qual sua Firebolt saiu do chão.Ele olhou para os outros jogadores.Peakes e Coot, os batedores, rondavam o campo se preparando para os balaços.Rony rondava as balizas.Gina, Cátia e Annie circulavam abaixo dele, se aquecendo para quando a Goles for lançada.Harry olhou pra Gina.Seus longos cabelos ruivos ondulavam com o vento.Olhou para Annie.Seus cabelos longos e castanhos estavam presos em um lindo rabo-de-cavalo.Seus olhos brilhavam com uma intensidade que ele nunca vira antes.
O treino correu muito bem.Annie se ajustou bem á equipe.Se entrosou bem com Cátia e Gina e entrou em uma boa sintonia com Peakes e Coot.Rony melhorou muito seu desempenho.Não deixou passar nenhuma bola, nem mesmo as mais difíceis, lançadas por Gina e Annie.Foi com uma enorme satisfação que eles pousaram e se dirigiram aos vestiários ao final de uma hora.
=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=
Setembro passou para um Outubro mais frio e cinzento, que passou para um Novembro frio e chuvoso.Dezembro chegou.E com ele as férias de Natal.Harry acordou de manhã e olhou pela janela.A neve branca e fofa cobria tudo embaixo. A cabana de Hagrid parecia um enorme bolo com glacê.Os alunos passavam pela neve deixando fundas pegadas.Harry se vestiu e desceu para o café da manhã.
Lá, Gina se sentou ao lado dele e disse:
- Oi Harry – E lhe deu um beijo – Vou passar as férias de Natal com mamãe e papai.Eles pediram pra te convidar.Você quer ir?
- Eu... – Mas nesse instante Annie entrou com Hermione.Harry observou Gina sair de perto dele e ir ao encontro delas.Ouviu-a dizer:
- Annie, mamãe quer te conhecer.O que acha de ir passar as férias conosco?
- Ah não Gina, não quero incomodar.
- Não é incômodo nenhum sua boba! Vai?
- Não...Obrigada pelo convite, mas não.Agradeça á sua mãe.
- Ok, você que sabe – E voltou pra perto de Harry.
- Você vai?Já se decidiu?
- Já.Não vou não Gina...Obrigado.
O dia dos garotos foi muito agradável.Nem mesmo Snape, desagradável como sempre conseguiu estragar o ânimo de Harry.A aula de Herbologia fora cancelada, já que a neve alcançou tal altura que somente com a ajuda de feitiços era possível passar.No intervalo foi permitido os alunos ficarem dentro do castelo.A aula dupla de Transfiguração era aguardada com muito entusiasmo pelos alunos.Não somente porque o conteúdo era bom, mas porque ao fim dela, iniciariam as férias de Natal.
Quando a tão aguardada sineta tocou, os corredores ficaram entupidos de gente alegre que se dirigia para suas salas comunais para se aprontar para o banquete.Harry subiu com Rony para a Torre da Grifinória, rindo de uma azaração lançada em Malfoy pouco depois da sua saída da aula.Ele estava todo inchado.
- É uma azaração ferreteante – Disse Hermione – Reconheço quando vejo uma.Quem será que a lançou no Malfoy?
- Não tenho idéia – Disse Harry.Mas no mesmo instante viu que, mais atrás, Gina e Annie morriam de rir – Ou será que tenho? – Disse bem baixinho.
=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=
Harry acordou na manhã seguinte e se sentiu feliz.Era o primeiro dia das férias de Natal.Ele espiou pelo buraco do cortinado de sua cama.Havia uma grossa camada de neve no parapeito da janela.Harry se vestiu e seguiu para o Salão Principal.
Quando chegou lá, o Salão estava muito bem decorado.Os doze costumeiros pinheiros de natal se encontravam cobertos de neve artificial e com várias bolas de prata.As mesas das quatro casas haviam sumido.No meio do Salão se estendia uma longa mesa, na qual todos os professores estavam sentados juntamente com uns poucos alunos.Annie e Hermione já haviam se sentado ao lado de um aluno da Lufa-Lufa chamado Ernesto Macmillian, um garoto extremamente pomposo que fez parte da AD.
Harry ainda observava a fantástica decoração quando Rony chegou.
- Nem pra me esperar né? – Reclamou.
- Desculpe, estava ansioso pra vir – O quê era verdade.Do outro lado do Salão, o Prof° Dumbledore, que estivera conversando com o Prof° Flitwick olhou para os garotos ao ouvir a reclamação de Rony e soltou uma exclamação de prazer:
- Hoho! Olá garotos!Venham se juntar á nós! – Annie e Hermione se viraram.Os meninos andaram em sua direção, mas quase no meio do caminho, Harry notou que não havia lugar para se sentarem.Quando se virou para dizer isso a Rony, um movimento o fez se virar de novo.Duas cadeiras apareceram ao lado de Hermione.O Prof° Dumbledore olhava para os garotos com uma expressão de divertimento no rosto.Harry entendeu, sorriu e se dirigiu ao seu lugar.
O almoço foi muito divertido.O Prof° Dumbledore estourou animadamente uma bala de estalo com o Prof° Flitwick.Harry, Rony, Hermione e Annie riam de algumas histórias contadas sobre ex-alunos pela Profª McGonagall.No fim do banquete, Hermione anunciou que ia subir.Chamou Annie, Rony e Harry, mas os três quiseram ficar.Ela não cedeu nem mesmo ao Profº Dumbledore, que disse que diminuiria sua média se ela não ficasse.Todos riram, inclusive Hermione, mas esta saiu do Salão mesmo assim.
Mais tarde, enquanto Harry, Rony e Annie subiam para a sala comunal, Annie disse:
- Eu me esqueci de pegar uns livros na biblioteca!
- Quer que eu vá com você?
- Seria ótimo.São muitos livros.
E Rony subiu pela Escadaria de Mármore sozinho, em direção ao corredor do retrato da Mulher Gorda enquanto Harry e Annie seguiram para a biblioteca.Os dois não se falaram pelo trajeto.Apenas trocavam sorrisos ocasionais.Quando chegaram na biblioteca, Annie retirou cerca de oito ou nove livros pesadíssimos, que ela insistiu em levar sozinha e que só aceitou ajuda porquê precisava de alguém que a guiasse.No fim, depois de uma briga silenciosa (dentro da biblioteca), Harry deixou que Annie levasse os livros, mas foi segurando-a e guiando-a até o corredor do terceiro andar.
- Porquê viemos aqui? – Perguntou Harry?
- Esses livros não são pra mim, são pra Luna – Respondeu Annie – Ela está fazendo um trabalho de feitiços e, como precisa de muitos livros, pediu minha ajuda para retira-los da biblioteca.Eu entrego pra ela aqui e ela leva para a Sala Comunal dela.
- Entendi.Não é ela bem ali?
- É sim!Luna!
- Ah, olá Annie! – Respondeu Luna, sonhadora como sempre – Olá Harry.Isso é tudo?
- É sim.Peguei todos os que faltavam.
- Poxa Ann, obrigada mesmo!Agora vou indo.Tchauzinho Ann!Obrigada por tudo!Tchau Harry!
- Tchau Luna! – Respondeu Harry.
Harry e Annie seguiram pelo corredor do terceiro andar sem se falar.Quando iam fazer a curva para subirem as escadas, Annie virou-se de repente.
- O quê foi? – Perguntou Harry.
- Eu achei que tinha esquecido de entregar uma coisa á Luna, mas lembrei que deixei dentro dos livros.Eu e minha cabeça!
Ela se virou para continuar e deu de frente com Harry, que se adiantara correndo pensando que ela ia atrás de Luna.Eles se olharam por longos instantes.O braço de Annie foi subindo para o pescoço de Harry.Este passou seus braços pela cintura dela...
E se beijaram.Talvez tenham ficado ali durante várias horas, ou talvez vários dias, ou provavelmente anos e anos.Harry não queria soltá-la nunca mais.Queria ficar ali pra sempre.Uma sensação deliciosa se espalhou pelo corpo de Harry.Como se nenhum problema existisse e como se nada fosse impossível.Annie beijava Harry com intensidade.Parecia querer aquilo tanto quanto ele.Eles apertaram o abraço.E se separaram.Ficaram ali, abraçados no meio do corredor deserto.
- Acho – Disse Annie – Melhor isso ficar só entre nós.
- Também acho – Respondeu Harry.
- Ah Não! – Exclamou Annie, indo pra longe de Harry.Parecia prestes a chorar – Gina!Não acredito!
- Calma!Não se preocupa!Eu ia mesmo terminar com ela.
- Por quê? – Ela pareceu intrigada.
- Porquê... – Harry tomou coragem – Eu sabia que não ia agüentar muito tempo.Se eu não beijasse você eu explodiria!Annie, seu ficasse mais um dia sem ter você, eu morreria!
Annie encarou Harry por longos instantes.Parecia não ter acreditado no que ouvira.Por fim, falou:
- É sério?
- É.
- Mesmo assim! – Ela parecia ter se recuperado do choque – Isso foi errado! Eu não queria fazer isso! Eu traí a minha melhor amiga!
- Se acalma! – Disse Harry, que estava começando a ficar nervoso também – Eu termino com ela hoje.Mais tardar amanhã.Ok?
- Eu...
- Ok?!
- Eu...Ok.É bom mesmo!
Eles seguiram para a Sala comunal da Grifinória em silêncio.Quando chegaram, Hermione, Rony e Gina estavam conversando.Gina se levantou e disse:
- Onde foram?
- Fomos levar uns livros pra Luna.Ela me pediu.Harry foi me ajudar.Hermione, vamos nos deitar sim? – Ela disse tudo isso muito rapidamente.
- Vamos.Noite pra todos.
- Noite Rony.Noite Gina – E quando passou por Harry, Annie sussurrou em seu ouvido – Á meia-noite eu desço – E se foi para os dormitórios junto com Hermione.
- Acho que também vou indo gente.Noite.
- Noite – Disseram Harry e Gina.
- Gina – Começou Harry, quando Rony desapareceu na porta do dormitório dos garotos –Precisamos conversar.
- Sobre o quê?
- Nós.Eu acho que devemos dar um tempo.
- Tá querendo terminar? É isso não é? – Ela parecia triste e nervosa, mas ao mesmo tempo, parecia já estar esperando.
- Não...É. É sim.
- Por quê?Posso saber?
- Não sei... Isso vai dar encrenca...
- É pela Annie não é?
- Como...? – Harry estava surpreso.
- Eu sabia! Harry, o jeito que você olhava pra ela!Era óbvio!
- Mas...
- E eu perguntei se ela gostava de você e ela disse que não, mas eu sei que sim.Ela olhava pra você de um jeito estranho.Mas agia quase que normalmente.Você simplesmente babava por ela!Eu sei que ela não confessou por respeito á mim.
- É verdade!Ela ficou desesperada quando nos beijamos!
- O QUÊ? Quando? – Ela parecia enlouquecida.
- Agora, na vinda pra cá – Harry olhou para o relógio.Era meia-noite e cinco.Annie não viera.Era melhor assim.
- Então, se vai terminar comigo, pelo menos me dê um beijo?De despedida?
- Não.Gina é melhor não.
- O que te custa?
- O quê?Não é o que custa pra mim, é o que custa pra Annie!
- Como assim?
- Ela me ama também.Eu senti.
- Por favor! – Disse ela com tom de desdém.
- Não.Gina.Não.Não posso.
- Quando foi comigo você podia não é? – Ela parecia magoada agora.
- Não, não tem nada á ver!
- Claro que tem!
- Vou me deitar.Noite – E saiu em direção á escada que o levaria para os dormitórios.No meio dela, encontrou Annie.Parecia não saber que Gina estava lá embaixo nem ter ouvido nada de sua conversa com Harry.
- O quê houve? – Ela perguntou.
- Gina ainda está lá embaixo.Deixa pra outro dia.
- Ok.Boa noite – E deu um beijo em Harry.Novamente, ele sentiu a sensação de que nada era impossível.Annie o olhou nos olhos, deu um sorriso e se foi para o dormitório das meninas.

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Capítulo 4 - Os outros dois

O dia seguinte em Hogwarts foi bastante agitado, já começando no café da manhã, quando Malfoy entrou no Salão Principal e se aproximou da mesa da Grifinória junto com seus capangas Crabee e Goyle.
- Olá Granger.Receio que temos...
- Uma discussão pra terminar, correto - Interrompeu Annie.E se levantou, parecendo decidida a retomar a discussão ali mesmo, naquele instante.Malfoy, porém lançou um olhar apreensivo á mesa dos professores.Não se atrevia a provocar confusão na presença deles.Annie agora encarava Malfoy com uma expressão desafiadora no rosto.Parecia saber o que ele estava pensando.Ele se aproximou de Annie, e falou de modo que somente ela pudesse ouvir.
- Na próxima você verá.
- Engraçado...Tive a estranha sensação de que essa era a próxima-Disse ela, sem se preocupar em manter a voz baixa.Malfoy saiu sem nada dizer, ainda espumando.
Porém Malfoy não procurou Annie o dia todo, apesar de ter tido aula dupla de Poções com ela e também Trato das Criaturas Mágicas.Parecia de alguma forma apreensivo.
- Ele não me parece tão terrível assim-Comentou Annie para Hermione, quando as duas seguiam para o segundo andar com Harry e Rony e avistaram Malfoy ao longe.
- Não sei.Ele está estranho.Não parece o mesmo...-Disse Hermione.
Annie e Hermione os abandonaram no segundo andar, aonde iam pra aula de Runas Antigas e Harry e Rony seguiram para a Sala comunal.Eles iam usar esse período livre para tentar adiantar o dever dificílimo de Poções passado por Snape antes de seguirem pro almoço.Eles ficaram meia hora pensando.Os pensamentos de Harry ás vezes saíam da Torre da Grifinória e do dever de Poções até o segundo andar, onde Annie estava tendo a sua aula de Runas Antigas.Várias vezes foi trazido de volta ao presente por Rony, que o chamava apreensivo.Harry, porém o surpreendeu uma ou duas vezes com a mesma expressão de quando conheceram Annie.Os olhos desfocados e a boca aberta.Harry ficou ligeiramente alarmado.Não podia ser...Não podia.Era imaginação.Rony não podia...Não podia estar pensando nela também.Ele o chamava de volta ao presente dando-lhe cutucões doloridos nas costelas.Ele olhava para os lados e abaixava a cabeça para o seu dever de Poções ficando quase tão vermelho quanto seus cabelos.
Eles desceram dez minutos depois (o dever de poções continuava em branco) para o almoço.Harry e Rony se sentaram á mesa da Grifinória antes de Annie, Hermione e Gina aparecerem.Elas chegaram cinco minutos depois, conversando animadamente.Mas no meio do caminho para a mesa da Grifinória, Malfoy deu um encontrão em Annie, que derrubou a mochila abarrotada de livros pesados.Malfoy a segurou antes que caísse no chão, exatamente como Rony fizera no episódio da escada.Ela se virou agradecida para o seu salvador, mas no instante que viu quem era começou a se debater.Malfoy parecia não ouvir nem notar nada.Olhava para Annie com a mesma expressão de Rony na sala comunal á pouco.Ela continuou a se debater, mas Malfoy parecia não querer soltá-la.Harry começou a ferver por dentro e já ia se levantar quando Pansy Parkinson, uma garota da Sonserina com cara de buldogue se levantou e foi o mais depressa possível até eles onde Annie se debatia e gritava:
- Me solta Malfoy!Já agradeci!Me solta!
A gritaria de Annie começava a atrair a atenção de todos no Salão, inclusive dos professores, que haviam parado de conversar e olhavam para os dois na entrada do Salão.Quando Pansy finalmente chegou, ela deu um forte beliscão em Malfoy, que o fez gemer de dor e soltar Annie.Esta apanhou a mochila e saiu com Hermione e Gina, ainda estupefatas com a atitude de Malfoy.Pansy pegou Malfoy pelo braço e brigou com ele por todo o trajeto até a mesa da Sonserina, onde todos também olhavam Malfoy muito surpresos.Annie se sentou ao lado de Harry (que sentiu o estomago dar duas cambalhotas completas) esfregando os pulsos.
- Quem aquele Malfoy pensa que é? –Esbravejou-Aliás, o que é que ele estava fazendo vindo pra cá? A mesa da Sonserina é pro outro lado!
- Não sei, mas devo admitir que essa atitude do Malfoy foi muito estranha-Comentou Hermione.
De repente, Harry começou a pensar.Estaria o Malfoy também gostando de Annie?Não...Não é possível.Malfoy não liga pra ninguém.Só pra ele mesmo.Mas...Por quê Annie mexia daquela forma com os garotos?Está certo, era uma garota extremamente bonita, mas era muito estranho.Muito estranho mesmo.Ela mexia com os garotos da mesma forma que mexia com Harry.Como se os colocasse em um transe.Mas por quê?Com esse pensamento na cabeça, ele seguiu para a aula de DCAT com Hermione, Rony e Annie.
A aula de DCAT* correu tranqüilamente.Harry não conseguiu esquecer Annie (mesmo porque ela estava sentada do seu lado), mas não pôde deixar de rir com Rony, Hermione, Annie e os outros colegas da “batalha” entre Annie e Mione para responder ás perguntas do professor (até mesmo as duas tiveram um ataque de risos mais pro meio da aula, quando Mione tentou ser mais rápida que Annie e acabou derrubando um tinteiro que prendeu na sua blusa na cabeça de Rony).Até o professor começou a rir.Foi inevitável!
Passada a aula de DCAT, eles seguiram pra última aula do dia, a de Transfiguração, que também correu tranqüilamente e foi muito divertida (Mione e Annie ainda continuavam sua batalha, só que dessa vez na prática dos feitiços).Terminou que as duas foram perfeitas (Como sempre! - Disse Rony, baixinho), o que levou a Profª McGonagall praticamente ao delírio.
Eles seguiram pro jantar, Annie e Hermione por vezes tinham ataques de risos por causa das brigas nas aulas.No fim, os quatro chegaram no Saguão de Entrada dando gostosas gargalhadas, Rony e Harry começaram a rir também no meio da descida da escadaria de Mármore ( o que quase gerou um acidente muito sério, pois Annie ria tanto que escorregou na escada, mas, para um certo desapontamento de Harry, Hermione a segurou e as duas tiveram que se sentar por dez minutos antes de terem condições de continuar andando).
Eles chegaram ao Salão Principal, de onde vinha um delicioso cheiro.Quando eles passaram pela mesa da Sonserina, Annie e Malfoy se encararam.Malfoy com um certo desejo.Annie cheia de ódio.Ela passou por eles e seguiu para a mesa da Corvinal, do outro lado do Salão, para conversar com Luna.Harry olhou para Malfoy.Ele seguiu Annie com os olhos.Harry queria voar em cima dele.Somente quando Hermione o chamou da mesa da Grifinória ele despertou e foi se juntar a ela, Rony e Gina.Pouco depois, Annie foi se juntar a eles, se sentou ao lado de Harry (Que sentiu o coração disparar), que fez de tudo para não roçar no braço dela, pois sempre que o fazia sentia arrepios.
Terminado o jantar, seguiram todos para a sala comunal, onde tentaram terminar um dever dificílimo de Transfiguração, passado pela Profª McGonagall.Hermione e Annie, que já haviam terminado, estavam conversando animadamente sobre os livros que já haviam lido.Gina brincava com Bichento perto da lareira jogando bolinhas de papel no chão.Annie olhou na direção deles e pareceu notar que precisavam de ajuda, pois se levantou de boa vontade da sua poltrona, se aproximou dos garotos e perguntou:
- Querem ajuda?-e se curvou sobre o trabalho de Rony – Acho que isso não está certo-Disse analisando um ponto do trabalho de Rony-Mione, vem aqui!- Chamou.Ela se curvou novamente sobre o trabalho de Rony.Seus longos cabelos castanhos desceram pelo seu ombro como cortinas.Eles emitiam um brilho dourado devido à claridade das velas da sala comunal.Hermione se aproximou e se curvou sobre o dever de Harry.
- Tem razão-Disse-Isso tá errado.
- Me dá isso-Disse Annie, passando a mão no dever de Rony e Harry-Vou dar uma lida e corrigir, se não se importarem.
- Eu ajudo-Disse Hermione, e saiu atrás de Annie, que carregava os trabalhos.Harry apenas observou enquanto Hermione e Annie riscavam frases e mais frases de seus trabalhos.Quando terminaram, uma hora e meia depois, Harry recebeu o seu trabalho (Que aumentara mais de um metro),agradeceu e foi finalmente foi conversar com todo mundo.Ficou ali por horas, rindo, admirando Annie, rindo das histórias de Annie, admirando os olhos de Annie.Ele não sabia o porque, só sabia que queria olha-la, toca-la, beija-la...
Mas não podia.Gina estava ali.E Rony.E Mione.Harry desviou o olhar de Annie (com muito custo) e olhou pra Gina.Havia algum tempo pensava em terminar com ela.Mas toda vez que tentava, ela surgia e o beijava.Parecia saber o que ele queria fazer, e parecia querer impedir...Mas como podia saber?
Por fim, Annie, Hermione e Gina anunciaram que iam se deitar.Harry ainda enrolou um pouco na sala comunal com Rony, jogando uma partida de bexigas.Quando os dois subiram para os dormitórios, Harry decidiu-se: iria falar com Gina amanhã.Deitou-se e dormiu instantaneamente, pensando em como terminar com Gina na manhã seguinte.

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Capítulo 3 - O primeiro dia

Harry teve sonhos estranhos.Neles, o rosto de Annie entrava e saia de foco.E ele via Gina muito brava e no momento seguinte estava beijando alguém e quando via não era Gina, mas sim Annie.E ele se assustava e corria por um corredor muito escuro e no fim encontrava Annie e Gina, as duas ombro a ombro e Gina perguntava “Com quem quer ficar?” E Harry dizia que queria ficar com as duas, do jeito que é, ele e Annie amigos e Gina como namorada, mas não tinha muita certeza do que estava dizendo e Annie dizia num tom de voz muito suave, mas muito perigoso que ele não podia, que tinha que escolher e ele dizia que não queria escolher.E as duas ergueram as varinhas.Gina meia triste e nervosa.Annie determinada e perigosa.Elas disseram alguma coisa que Harry não ouviu e então...
Ele viu o dossel da sua cama.Olhou para os lados.Aquilo não acontecera.Fora um sonho, só isso.Ele respirou aliviado, porém não conseguiu mais dormir e mesmo que conseguisse, teria que acordar logo.Por fim, decidiu-se por ficar na sala comunal.
Quando desceu, enroscadas em duas poltronas estavam Hermione e Annie, ambas debruçadas sobre pilhas de livros e anotações (Harry reconheceu a caprichosa letra de Mione nelas).Ele se sentou em uma das melhores poltronas perto da lareira agora apagada e se perguntou o que elas estavam fazendo ali, quando Hermione acordou meio confusa.
- Já está na hora de ir?
- Não.Por que estão aqui?
- Ah estive mostrando o que aprendemos no ano passado, pra saber se ela está no mesmo nível que a gente. Acabamos cochilando.
- É melhor você acorda-la.Está quase na hora de ir.
- Tem razão - E se virou pra Annie - Ann?Ann acorda!
- O que foi?
- Já tá na hora de ir.Depressa, vá buscar as suas coisas.
E Annie subiu correndo a escada para o dormitório.Mas nesse instante, Rony apareceu descendo correndo a escada e os dois se trombaram.Annie quase caiu pra trás e Rony a segurou.Rony olhou pra Annie pelo que pareceram horas, até que ela anunciou que ia buscar as suas coisas.Ela foi e voltou e Rony a seguiu com os olhos até ela passar pelo buraco do retrato com Hermione.Aquilo incomodou Harry de uma forma estranha.Ele queria gritar pra Rony para ele parar com aquilo, mas ele anunciou, meio sem-graça:
- É melhor irmos.Não quero perder o café da manhã.
Harry e Rony se sentaram um de frente para o outro, mas Harry não falou com o amigo.Estava zangado com ele e nem ao menos sabia o por quê quando Annie, Gina e Hermione entraram no Salão Principal.Harry sentiu braços quentes o envolverem em um delicioso abraço e, por um delirante momento, esperou ver Annie se sentar ao lado dele, mas foi Gina quem o fez.Hermione e Annie se sentaram do outro lado da mesa, de frente para Harry e Gina e ao lado de Rony, que lançava a intervalos, olhares tímidos pra Annie, que nada demonstrava.Parecia constrangido com o episódio da escada.
- Por quê demoraram?Saíram antes de nós da Sala Comunal.-Perguntou Harry.
- Encontramos com a Luna.Quis apresentar Annie a ela.E pouco depois encontramos a Gina.
- Uma pessoa encantadora, essa Luna - Disse Annie.
O café da manhã correu tranqüilamente.Logo depois, Harry, Rony, Hermione e Annie foram pra primeira aula do dia, Poções, lecionada pelo professor menos querido de Hogwarts.Severo Snape era um homem pálido com os cabelos negros e oleosos descendo pelo rosto como cortinas.Quando os garotos chegaram na masmorra onde o professor ensinava, a porta estava fechada, então eles ficaram conversando até que uma voz muito conhecida os chamou:
- E aí Potter?Como está a cicatriz?-Era Draco Malfoy-Não quer dar uma passadinha na ala hospitalar?
- Ora seu...-Começou Harry, zangado.Mas alguém que tinha cabelos muito brilhantes e castanhos passou na sua frente e disse:
- Então-Era Annie-Você é o famoso Draco Malfoy?Ouvi muito sobre você...Mas acredite, não era nada de bom.
Draco ficou exatamente como Harry e Rony ao ver Annie.Boquiabriu-se de tal forma que sua boca formou um perfeito “O”.Mas assim que se recompôs e se preparava pra revidar, o Prof. Snape apareceu na porta da sala e disse baixinho:
- Entrem.
- Ainda não acabou - Murmurou Draco ao passar por Harry, Rony e Annie a caminho das portas da masmorra.
Eles entraram na masmorra escura e fria como sempre.Harry ainda bastante surpreso com a atitude de Annie.Mesmo assim, podia jurar que viu os olhos do professor se arregalarem momentâneamente ao olhar pra Annie quando esta passou a caminho da sala.Eles se sentaram, Harry, Rony e Hermione sentados na sua habitual carteira no fundo da sala.Como só era permitido se sentar em trios, Annie foi se juntar a Neville Longbottom na carteira da frente.
- Devo preveni-la Srtª-Disse Snape, ao passar pela carteira que Neville e Annie ocupavam-De que Longbottom é um verdadeiro desastre em poções, portanto, tome cuidado.
Neville corou feito louco e murmurou umas desculpas quase inaudíveis pra Annie.Um leve sorriso perpassou o rosto de Snape.Parecia satisfeito em humilhar Neville daquela maneira.Annie, porém disse:
- Obrigada pelo aviso professor-E deu ênfase a palavra-Mas acredito que Neville seja capaz de melhorar se obtiver ajuda.
Muitos alunos a olharam, estupefatos.Neville ficou ainda mais corado.Nunca ninguém desafiara Snape daquela maneira, criticando tão seriamente o seu modo de ensino.
- Receio-Disse ele na sua voz mais suave e perigosa-Que o meu método de ensino não seja da sua conta Srtª...
- Granger.Annie Granger.E sim, receio que tem razão.Por ora, não é da minha conta.
- Outra Granger...E que quer dizer com “Por ora”?
- Nada-Disse ela.Snape a encarou com aqueles olhos negros e frios.Harry sabia o que ele estava fazendo.Só não sabia como poderia impedir...
Ergueu a varinha por baixo da mesa.Hermione notou o seu movimento e ofegou.O professor se virou pra ela, que fingiu um rápido acesso de tosse pra disfarçar.
- Srtª Granger, acho melhor dar uma passadinha na ala hospitalar depois da aula.Essa tosse pode atrapalhar o seu dia.
- Sim senhor.
Harry nem conseguia acreditar.Conseguira.Livrara Annie, mas não ousou falar com ela durante a aula.
A aula correu como sempre.Snape criticando os alunos da Grifinória, implicando com Harry, com a poção de Harry, ignorando Hermione (Pois sua poção estava tão boa que ele não encontrou o que criticar), implicando com o modo de sentar de Harry, humilhando Harry.A sineta que tocou mais tarde foi bem vinda.Eles juntaram o material e seguiram pra aula de Transfiguração.No caminho, Rony falou:
- Você enlouqueceu?Criticar Snape daquela forma!Tem sorte de não ter recebido uma detenção!
- Tem sorte é dele não ter entrado na sua mente-Disse Harry-Ele é um ótimo oclumente, e...
- Eu sei, a Mione me falou.Também sou uma ótima oclumente, diga-se de passagem.
- COMO?-Perguntaram Harry, Rony e Hermione juntos.
- Ah qual é gente!Pra aprontar tanto quanto eu aprontei, tem que ser um ótimo oclumente para não ser pego.Lá em Beauxbatons, todos os professores sabem Oclumência.Eu tive que aprender pra não ser pega.Eu e a Fleur.
- Nossa...Você pensa em tudo-Disse Rony.
Annie fez cara de quem recebera um elogio.
O dia de aula correu normalmente.A aula de Transfiguração foi tranqüila, Feitiços também.O almoço foi normal, eles ainda comentavam o que Annie fizera na aula de Poções.A aula dupla de Herbologia foi ótima, pois eles faziam com os alunos da Lufa-Lufa e todos se davam muito bem.Na hora do jantar, a escola toda já sabia do ocorrido entre Snape e Annie (embora alguns detalhes tivessem sido alterados, como era costume em Hogwarts. Harry ouviu uma caloura falando pra amiga que Annie virara um caldeirão cheio de poção fervente em cima de Snape.).
Na sala comunal, depois do jantar, todos ficaram rodeando Harry, Rony, Hermione e Annie pra ela contar a história verdadeira.Harry riu com gosto das caras de espanto dos colegas quando ela terminava de contar a historia e só parou quando Cátia Bell, uma garota do time de quadribol da Grifinória veio saber quando seriam os treinos (Harry era capitão do time da Grifinória).Ele mal teve tempo de responder, pois nesse instante, Annie interrompeu a conversa:
- Quadribol?Desculpem a intromissão, mas eu adoro jogar quadribol!Sempre joguei em Beauxbatons como artilheira!
- Que bom!-Disse Cátia-Você podia fazer o teste!Estamos precisando de uma artilheira no time!
Resolvido esse problema (Annie disse que faria o teste com prazer), eles retornaram á conversa.Conversaram durante horas, até só restarem Harry, Rony, Hermione, Annie e Gina na sala comunal.Harry achava que Gina andava muito grudada nele ultimamente.Todas as oportunidades que tinha de ficar sozinho com Annie eram estragadas por ela, que sempre aparecia sabe-se lá de onde.Se sentia mal pensando assim, mas era verdade.
Novamente, Mione e Gina foram as primeiras a se retirar, seguidas por Rony.Harry não podia acreditar: Estava sozinho com Annie.Realmente sozinho.Apenas ele e ela.
- Então...Eu não sabia que você era oclumente-Disse meio constrangido, mas quase imediatamente se arrependeu.Isso era uma coisa pessoal.Não tinha nada a ver com isso.Porém, Annie não pareceu se abalar.
- Muito pouca gente sabe.Fleur e eu descobrimos isso no meu segundo ano em Beauxbatons, em um livro.Daí descobrimos o motivo pelo qual sempre éramos descobertas por mais cuidado que tomássemos.
- Você parece que aprontava muito em Beauxbatons.
- E aprontava, como você mesmo percebeu.Ah é melhor eu levar esses livros pra lá.Eles podem se misturar com o dos calouros - Disse ela, indo até o outro lado da sala e apanhando uma enorme pilha de pesados livros que estavam espalhados em uma mesa.
- Quer ajuda?-Ofereceu Harry.
- Não, não precisa.Tô legal...Oops!- Exclamou ela, quando tropeçou em uma dobra do tapete.Harry a segurou.Os livros caíram, mas eles nem ligaram.Estavam quase abraçados ali, sozinhos na sala comunal.Eles se encararam por longos minutos.Ficaram ali, parados, se olhando.Harry aproximou o seu rosto.Annie também.Estavam quase se beijando quando ouviram uma porta se abrir e se afastaram bem a tempo.Gina surgiu na escada.Eles se abaixaram e começaram a apanhar os livros, meio constrangidos.
- Ann, a Mione está te esperando!
- Já tô indo.Só vou guardar esses livros.
- Ok vou avisar a ela.-E saiu.
- Bem-Começou Annie-Noite.
- Noite-Respondeu Harry.
E subiram.Annie foi para o seu dormitório e Harry pro seu.Quando encostou a cabeça no travesseiro, Harry pensou.Se Gina tivesse demorado mais cinco segundos pra aparecer, talvez ele pudesse finalmente provar o sabor dos lábios de Annie.Se ela tivesse esperado mais um pouco...E adormeceu pensando que nunca um primeiro dia em Hogwarts fora tão bom.

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Capítulo 2 - O encontro

A festa de início do ano letivo já terminara e Hermione ainda não voltara, nem a Profª McGonagall aparecera durante o banquete e a seleção foi feita pelo miúdo professor de feitiços Flitwick.
Já era tarde quando Hermione retornou á Sala Comunal da Grifinória, já vazia exceto por Harry e Rony, que a aguardavam.
- Ela é fabulosa! - Exclamou Hermione, sorridente - É extremamente inteligente!Ah, vamos nos dar muito bem!
- Eu não acredito - Gemeu Rony, baixinho.
- Onde ela está?- Perguntou Harry.
- Ah, ela vai passar a noite no Três Vassouras hoje.Amanhã de manhã vocês a conhecerão. Ah estou cansada. Noite pra vocês.
- Noite.- Responderam Harry e Rony juntos.
- Ah! Isso vai ser um pesadelo!-Exclamou rony, depois que Hermione fechou a porta do dormitório das meninas - Mais uma Hermione! Eu quero morrer Harry!
- Se acalma!Talvez ela não seja tão ruim assim.
- Espero que não! Por quê se for...Eu nem sei o que eu sou capaz de fazer!- Ele se levantou e subiu pela escada circular até o dormitório dos garotos.
Harry ainda ficou um tempo na Sala, admirando a lareira.Annie não podia ser tão ruim assim, pensou ele. Por fim, se levantou e foi dormir.
=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~==~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=
Harry levantou na manhã seguinte como sempre.Somente quando estava a meio caminho da porta ele se lembrou do porquê não conseguira dormir direito à noite: Hoje conheceriam a irmã de Hermione.
A verdade é que nem ele mesmo sabia porquê estava tão nervoso, afinal não tinha motivo nenhum pra isso.Ele aguardou Rony se levantar e se aprontar antes de descer com ele pra Sala comunal, agora vazia.
- Cadê ela?- Perguntou Rony e Harry notou um tom de nervosismo na voz do amigo.
- Deve estar lá embaixo com a Mione - Disse Harry.
- Gina, você viu a Mione?- Perguntou Rony.
- Vi sim-Ela beijou Harry.Rony imediatamente se tornou muito interessado nos cordões dos seus tênis - Ela desceu agora a pouco pro Salão com uma garota que eu não conheço.
Harry e Rony se entreolharam antes de seguirem pelo buraco do retrato com Gina entre eles e desceram para o Salão Principal.
Quando finalmente desceram o último degrau da escadaria de mármore, seus olhos correram pela mesa da Grifinória até localizarem Mione, que conversava animadamente com uma garota que estava de costas pra eles.Os dois garotos e Gina começaram a ir em direção a mesa da Grifinória.Gina os abandonou para se sentar com um grupo de alunos sextanistas no meio da mesa. Os dois garotos de aproximaram cautelosamente.Mas antes que pudessem dar três passos, Mione deu um gritinho e correu pra eles, deixando a tal garota sozinha, ainda oculta pela sombra de outros estudantes.
- Que bom que chegaram!- Ela exclamou feliz – Annie está ansiosa pra conhecê-los!-Ela se virou e chamou bem alto - Annie!Vem aqui!Eles chegaram!
O que se passou a seguir pareceu correr em câmera lenta.Annie se ergueu lentamente e se virou.Era muito parecida com Hermione, porém tinha um jeito único.Ela tinha os cabelos longos e encaracolados como os da irmã, porém não tão cheios. Eles desciam com uma elegância natural pelo seu ombro; Tinha os olhos castanhos e extremamente brilhantes; Era alta e magra e parecia encher todo o Salão apenas com a sua presença. Harry olhava pra ela boquiaberto enquanto ela caminhava graciosamente em sua direção. Deve ter sido por isso que levou uma cutucada particularmente dolorosa nas costelas, dada por Hermione. Olhou para o lado. Rony era a imagem do que ele sentia: estava com os olhos desfocados e a boca aberta, exatamente como ele devia estar antes de Hermione o cutucar.Depois do que pareceram horas, Annie chegou:
- Olá - Disse ela.Tinha a voz suave e calma - Você deve ser Harry Potter não é?- Ela estendeu a mão e Harry a apertou, ainda meio abobalhado-E você deve ser Rony Weasley, estou certa?- E se virou pra Rony, que levou uma cutucada de Hermione também e apertou a mão que Annie lhe oferecia - Não imaginam como minha irmã falava de vocês!Estava muito ansiosa pra conhecê-los!
- Annie, esta é Gina Weasley, irmã de Rony e minha melhor amiga.
- Olá - E apertou a mão de Gina - Minha irmã também me falou muito de você!
- Como está?-Perguntou Gina, apertando a mão de Annie.
- Ótima.Bem, uma pouco nervosa.Pelo que a Mione me falou, o ensino de Hogwarts é muito diferente do de Beauxbatons. Aqui vocês têm mais aulas práticas, lá estudamos mais a teoria. Mas sou muito boa em feitiços práticos também, principalmente se tratando de azarações.
- Que ótimo!-Exclamou Rony sem pensar - Você poderia azarar o Malfoy pra gente!
- Não!Annie não vai fazer isso!-Disse Hermione.Harry entendeu por quê Rony fez essa pergunta tão de repente.Draco Malfoy acabara de entrar no Salão Principal, seguido pelos seus capangas, Vincent Crabbe e Gregório Goyle.Ele lançou o costumeiro olhar de deboche e desprezo aos garotos com aqueles olhos frios e cinzentos e se sentou com os colegas na mesa da Sonserina.Harry e Malfoy se tornaram inimigos desde o primeiro encontro deles, há sete anos atrás, na loja de roupas de Madame Malkin no Beco Diagonal.Quando Harry voltou os seus ouvidos pra conversa que se seguia entre Mione, Rony, Gina e Annie, Hermione ainda ralhava com Rony por ter dito tal absurdo.Gina revirava os olhos pro teto e também discutia com Rony e Hermione.Já Annie fazia interrupções regulares, dizendo que pelo que Mione lhe contara, aquele Malfoy merecia ser azarado sim.Mas de qualquer outra forma, parecia estar se divertindo com aquilo tudo.
- Está bem!-Disse Rony-Falei sem pensar!Foi mal ok?-Porém, quando Hermione se afastou, ele disse bem baixinho-Mas ela podia dar um jeito nele!
- Quem sabe?-Falou uma voz ao ouvido de Harry e Rony. Annie estava muito próxima, era possível ouvir a sua respiração.Harry ficou todo arrepiado - Se ele for tão chato quanto vocês dizem, talvez eu dê um jeito nele - E saiu do Salão atrás de Mione e Gina.Harry rapidamente começou a andar, rezando pra que Rony não tivesse notado nada.
=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=
De noite, na Sala Comunal da Grifinória (Annie também fora selecionada pra lá), eles ouviam histórias de Annie sobre Beauxbatons.Pelo que pôde notar e para seu inteiro alívio, Annie parecia ser tão “marota” quanto eles.Ela não tinha, como dizia Rony, veneração pelas regras como Hermione. Pelo contrário, parecia ligar pra elas tanto quanto Harry (Ou seja, não tava nem aí).Eles passaram horas se divertindo com as histórias de Annie, até que Rony perguntou:
- Se você estudava em Beauxbatons, por quê não veio pro Torneio Tribruxo?
- Ah sim!-Disse ela rindo-Foi por uma coisa realmente idiota sabem...É que eu acidentalmente joguei fogo na roupa que eles usariam pra vir pra cá.Não me olhe assim Mione!-Ela disse quando Mione lhe lançou um olhar de reprovação-Foi um acidente ok?-E virou-se pra Harry e Rony e disse bem baixinho, de modo que somente os dois pudessem ouvir-Mas foi engraçado!
E continuaram conversando e rindo por muito tempo, até só sobrar os cinco na sala comunal.Até que Hermione e Gina anunciaram:
- Vamos nos deitar, você vem Annie?
- Não, vou ficar aqui mais um pouco.Podem ir.
- Ok, noite -Disse Hermione, enquanto Gina dava um beijo de boa-noite em Harry.Nem ele sabe porquê fez isso.O caso é que, pela primeira vez em meses, quando Gina o soltou, seu olhar não procurou Rony (Que fingiu um forte ataque de tosse).Ele correu os olhos pela sala em busca de Annie, que não demonstrou nada de diferente, exceto o toque de frieza que Harry surpreendeu no meio de sua voz suave ao se despedir de Gina.
Harry, Rony e Annie ainda ficaram mais alguns minutos na Sala comunal, rindo das artimanhas de Annie até que Rony anunciou que ia dormir.Ele se despediu dos dois e subiu, deixando Harry e Annie sozinhos na Sala comunal exceto por Bichento, que rolava e ronronava na frente da lareira.
- Hum...Acho que vou me deitar também, estou cansada.Noite Harry.
- Noite-Respondeu ele. Quando Annie se levantou e passou por ele sorrindo, Harry fechou momentaneamente os olhos e sentiu o doce aroma do perfume dela.Abriu-os rapidamente, torcendo pra que ela não tivesse notado nada.
Harry ainda ficou alguns momentos na Sala Comunal, pensando. Não imaginava que Annie fosse assim, tão diferente de Hermione.Sem dúvida era inteligente, mas tinha um certo desprezo pelas regras que o lembrava muito alguém.Alguns momentos depois, notou que ela lembrava ele mesmo nesse aspecto e começou a rir baixinho.Que estava acontecendo com ele?A presença de Annie mexia com ele de forma estranha.
Por fim, decidiu subir e se deitar.Quando se levantou da poltrona, notou o quanto estava cansado e resistiu fortemente a tentação de se sentar novamente e dormir ali mesmo.Se arrastando, começou a subir os degraus de pedra que levavam aos dormitórios.Porém, no meio da subida, se deparou com Annie, sentada na janela, admirando a paisagem.Parecia não ter notado a aproximação de Harry.
- Annie?- Perguntou, hesitante.
- Ah, olá Harry.Estava subindo quando eu vi essa paisagem extraordinária e fiquei aqui para admira-la.
Harry olhava pra janela também, mas não admirava a paisagem.Olhava mesmo pra Annie.Seus olhos brilhavam com mais intensidade do que o normal devido à luz prateada da lua.
- Realmente é lindo-Disse ele por fim - Nunca notei realmente...-E se sentou ao lado dela pra admirar a paisagem.
- Gostaria de ter vindo pra cá estudar.Não que eu não gostasse de Beauxbatons, pois se eu não tivesse ido pra lá, talvez não tivesse conhecido a Fleur, que foi uma grande amiga pra mim.Mas talvez as coisas tivessem sido diferentes... Sabe, eu era motivo de piada em Beauxbatons no começo.Por não ter uma família de verdade, de sangue.Eu cresci isolada entende.Meus pais adotivos moravam no mundo dos trouxas e eles realmente entraram em pânico quando eu comecei a mostrar sinais de magia.Alguém podia saber! Daí me mandaram pra casa de uns parentes na França e eu acabei indo parar em Beauxbatons...
- Mas não tem sentido eles caçoarem de você só por isso!
- São garotas metidas, mimadas e puros-sangues.Acha que iam perder a oportunidade de caçoar da menininha adotada provavelmente nascida trouxa? De jeito nenhum!Mas depois de um tempo, eu mostrei ser realmente poderosa.Quer dizer, tinha momentos em que mesmo com todo o aprendizado da escola, eu me descontrolava.Causava estragos pequenos, como quando eu fiz um vaso cair na cabeça de uma garota que ria de mim.Causava estragos grandes, como na vez que eu derrubei uma garota que jogava quadribol e estava mais alto que todos.Ela era apanhadora.A queda foi realmente feia.Apesar de tudo, não me arrependo de nada do que eu fiz.Agora eu acho melhor ir realmente me deitar.
- Também vou-Disse Harry.Mas no momento em que se apoiava pra se levantar, sua mão pousou sobre a de Annie.O que aconteceu depois pareceu se arrastar uma eternidade.Ela olhou pra baixo, pras mãos deles ali, unidas.Harry sentiu um estranho arrepio.Ela levantou os olhos e o encarou.Os belos olhos castanhos dela perfuraram os olhos extremamente verdes de Harry por uma infinidade, e ela retirou a sua mão cuidadosamente debaixo da dele. No momento em que suas mãos se separaram, ele pareceu despertar de um transe.Eles se olharam constrangidos e subiram a escada juntos até os dormitórios, onde se separaram com um constrangido “Noite”.
Harry pousou a cabeça no travesseiro, mas já não estava mais tão cansado assim.Estava com os pensamentos a mil.O que estava acontecendo com ele?Por que toda vez que ele via Annie ou encostava nela, sentia essa sensação?E não era uma sensação ruim.Era uma coisa boa, muito boa, como se fosse pra durar eternamente.Por que ela o deixava tão perturbado?Por que?Ele se cobriu e decidiu que encontraria a resposta amanhã.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Pois é... Primeiro Cap tá aí... e agora? Continuo ou não?

Capítulo 1 - A descoberta

Era um dia comum para Harry Potter e Ronald Weasley, que estavam jogando quadribol num pomar no quintal da casa de Rony, A Toca. Eles eram grandes amigos.Rony era um garoto alto e magro pra sua idade, tinha o rosto pálido e cheio de sardas, os cabelos muito ruivos e os olhos azuis. Harry já era mais baixo pra sua idade, os cabelos muito negros espetados pra todas as direções, os olhos muito verdes e uma fina cicatriz em forma de raio na testa.
Harry e Rony eram muito amigos de Hermione Granger, uma garota inteligente, cabelos muito cheios e castanhos, que escrevia para ambos nas férias de verão, contando o que estava fazendo.Uma delas dizia assim:
Caros Harry e Rony,
Estou passando as minhas férias aqui em casa.Não sei se já mencionei, mas meus pais desistiram de viajar pro Egito.Fiquei muito triste, os bruxos do Egito antigo me fascinam!
Enfim, mal posso esperar pra ver vocês!Tenho notícias ótimas!Realmente maravilhosas!Ah! Estou radiante de felicidade!Só não conto nessa carta, pois não quero estragar a surpresa!
Como vamos nos encontrar em breve (sua mãe, Rony, me chamou pra passar as últimas duas semanas de férias aí com vocês, na Toca), não vejo sentido dizer todas as novidades agora!

Espero ansiosa por nosso encontro
Afetuosamente
Mione

Os dois garotos tinham se perguntado que coisa era aquela que deixara Mione tão ansiosa pra vê-los.Mas como Mione chegaria de tarde, não ficaram mais tão preocupados assim com o que ela queria dizer pra eles.

=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=
Mais tarde, um pouco antes do jantar, o pai de Rony, o Sr. Weasley, um homem com os cabelos já rareando e os óculos de aros de tartaruga, anunciou que iria até um morro próximo, aguardar a chegada de Hermione (já que não se podia aparatar nem desaparatar nos terrenos da casa, devido aos feitiços de proteção ali lançados).Retornou dez minutos depois trazendo algumas malas e uma radiante Hermione atrás dele.Ela cumprimentou todos com o mesmo entusiasmo, deixando Harry e Rony por último. Ao abraçar Harry, ela sussurrou em seu ouvido:
- Irei ao quarto de vocês á meia-noite, pra contar tudo.
Quando ela finalmente soltou Harry, uma movimentação na escada fez Hermione levantar a cabeça e soltar um grito de alegria. Gina Weasley, irmã mais nova de Rony se encontrava ali, sorrindo para Hermione, que correu para abraça-la durante vários minutos. Depois, ambas desceram, e Gina deu um beijo na boca de Harry (os dois estavam namorando), que ainda não acostumado, olhou de esguelha pra Rony, que olhava distraidamente pela janela da cozinha.Era óbvio que se sentia tão desconfortável quanto Harry naquelas situações.
=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=
Á meia-noite, como o combinado, Hermione entrou sorrateiramente no quarto que Harry e Rony dividiam, acendeu a luz e se sentou na cama de Harry. Rony, que havia acordado quando a luz foi acesa, perguntou meio confuso:
- Quem é? O quê está acontecen...Ah é você Mione.
- Claro que sou eu! Quem pensou que fosse?
- Desculpe!Me esqueci!
- O quê é que quer nos contar Hermione?- Perguntou Harry, querendo evitar uma discussão.
- Bom, é o seguinte, há alguns meses eu recebi uma notícia maravilhosa!
- Dá pra parar de suspense e dizer logo?- Disse Rony, irritado-Eu adoraria dormir ainda hoje sabe!
- Bom, eu descobri que eu tenho uma irmã!- Disse Hermione, radiante.
- O QUÊ!- Disseram Harry e Rony juntos, espantados.
- Não é demais?- Disse ela, abrindo um sorriso maior ainda.- Foi a melhor coisa que me aconteceu!E ela vai pra Hogwarts com a gente!
- Ela é quantos anos mais nova que você?-Perguntou Harry, ainda espantado.
- Por quê?- Perguntou Hermione, parecendo desconcertada.
- Se ela vai começar Hogwarts agora, deve ser bem mais nova que você não é?
- Não!Ela vai começar no mesmo ano que a gente!Vai ser transferida!
- De onde?
- Academia de Magia Beauxbatons.
- Qual o nome dela?- Perguntou Rony, finalmente falando.
- Annie Granger.
- Bonito nome-Brincou Rony.
- É melhor eu ir - Disse Hermione, fingindo não ouvir Rony.
- Conversamos amanhã no trem - Disse Harry.
- Ela vai no trem com a gente?- Perguntou Rony.
- Quem?-Disse Mione, distraída em espiar pela porta pra ver se vinha alguém.
- Annie!Ela vai no Expresso de Hogwarts com a gente?
- Ah não!Ela vai depois, com Dumbledore.
- Dumbledore?Ela vai viajar com Dumbledore?- Disse Rony espantado.
- Sim, agora preciso ir.A gente se fala no trem. Noite.
- Noite - Disseram Harry e Rony juntos quando ela saiu.Eles se entreolharam no escuro e se enfiaram debaixo das cobertas com os pensamentos zumbindo na cabeça.
=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=
A manhã da partida foi agitada como sempre.Corujas piando, as pessoas tropeçando nos malões e gaiolas espalhados por toda a casa, e o gato de Hermione, Bichento, bufando dentro da cestinha de viagem. Porém, para Harry, Rony e Hermione esta manhã era mais especial do que de costume, principalmente pra Hermione, já que hoje era o dia em que finalmente conheceriam a famosa Annie Granger.
Quando chegaram a estação de King’s Cross, Harry e Rony notaram o nervosismo de Hermione. Ela quase esqueceu o malão no carro, e murmurava coisas sem sentido, como “Como será que ela é?” E “Espero não dizer a coisa errada”.
Na altura em que chegaram na barreira mágica que separava o mundo dos trouxas do mundo bruxo, Hermione estava muito pálida: era óbvio que ainda estava nervosa com o encontro com sua irmã.
Quando Harry e Rony atravessaram a barreira juntos, Rony falou:
- Espero que essa irmã da Mione seja diferente dela.Imagina só!Agüentar mais uma Hermione!Eu morreria, e você?
- É...Eu acho que seria bem ruim.Já chega a Mione pra me lembrar dos deveres!
- É disso que eu tava falando! Quer dizer, já chega uma né?
- É...
Mas Harry não continuou, pois nesse momento Hermione apareceu pela passagem, ainda muito pálida, juntamente com a Sra. Weasley, mãe de Rony.Era uma mulher baixinha e gorducha, de rosto bondoso e cabelos muito ruivos, como o dos filhos.
- Depressa pessoal!Só temos mais cinco minutos!-Disse ela.
Os garotos embarcaram os malões e desceram para se despedir do Sr. E Sra. Weasley.Após um forte abraço dado pela Sra. Weasley, Harry correu para o trem, aonde as portas já iam se fechando.Ele pulou pra dentro de uma e acenou para o casal até este desaparecer de vista na curva.
Quando Harry, Rony e Hermione encontraram uma cabine vazia e se acomodaram, se sentaram e ficaram em um incômodo silêncio que ninguém parecia querer quebrar, pois Hermione parecia prestes a vomitar (seu rosto estava num delicado tom de verde). Depois de um tempo, Rony, a muito custo, falou:
- Hã...Então Hermione...Como você acha que a sua irmã é?
- Ah...Nós temos nos comunicado por cartas, e ela me parece ser bem legal.É bem inteligente, isso eu notei.
- Vocês nunca se viram?
- Não. Eu descobri que eu tinha uma irmã através de uma carta de Hogwarts.
- Como assim?-Perguntaram Harry e Rony juntos.
- Junto com a minha lista de materiais, o prof. Dumbledore me mandou uma carta contando tudo.Devo confessar que pensei que era uma brincadeira.Mas a história fazia sentido...Depois de pensar muito tive que admitir isso.
- Como é essa história?
- Meia louca entendem...
- Diz logo!-Disse Rony, impaciente.
- Tá...Já aviso que é totalmente maluca!Tudo começou no Torneio Tribruxo...
- O quê!-Exclamou Harry, admirado.
- Sim.Parece que Fleur Delacour era amiga da Annie em Beauxbatons. Achou estranho nós duas sermos tão parecidas e com o mesmo nome entendem...Até que Fleur não é tão...Deixa pra lá.
“O fato é que Dumbledore e Madame Máxime concordaram que era muito estranho. Constava na ficha escolar de Annie que ela tinha uma irmã, mas que ninguém nunca a encontrou. Enfim...”.
- Espera aí... Se Annie estudava em Beauxbatons, por quê não veio pro Torneio Tribruxo?- Interrompeu Rony.
- Isso eu não sei dizer.Mas eles se dedicaram a descobrir tudo.Afinal, se fosse verdade, iria ser uma grande descoberta, já que essa história foi investigada durante anos.
- Isso é loucura!- Disse Rony
- Desculpa Hermione, mas essa história tá muito estranha...
- Eu sei, eu pensei a mesma coisa. Mas Dumbledore apareceu na minha casa pra explicar tudo aos meus pais...
- Annie é filha de bruxos?-Interrompeu Rony, novamente.
- Sim.Nós duas éramos filhas de dois aurores muito poderosos, porém não muito famosos.Eles morreram quando éramos pequenas, então um parente próximo decidiu nos tirar do mundo bruxo até começarmos a escola, como fizeram com você Harry. Mas Annie foi deixada á porta de bruxos.Aqueles bruxos que se disfarçam de trouxas. E eu realmente fui criada por trouxas sem ter idéia de que eu era bruxa.
Mas nesse momento, a bruxa gorducha do carrinho de doces do Expresso de Hogwarts apareceu, e eles se ocuparam em comprar tortinhas de abóbora, sapos de chocolate e feijõezinhos de todos os sabores.
=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=
Quando eles já estavam á menos de meia hora do castelo e saíram pra se trocar, Hermione voltara a ficar extremamente pálida.Quando retornaram pra cabine, ela parecia prestes a desmaiar. No pouco tempo de viagem que passaram na cabine, ela voltara a murmurar palavras sem sentido, porém, quando finalmente desembarcaram do trem em direção as carruagens que os levaria pra escola, ela parecia bem mais confiante.Os garotos se viraram ao ouvir a habitual chamada de “Alunos novos! Por aqui! Alunos do primeiro ano!”.
- Ah, olá vocês três!- Exclamou Rúbeo Hagrid, um meio gigante muito amigo dos garotos. Ele era duas vezes mais alto do que uma pessoa normal tinha longos cabelos e barbas desgrenhados, dando-lhe uma aparência selvagem, porém, os garotos sabiam muito bem disso, Hagrid tinha o coração enorme e bondoso.- Como foram as férias?
- Ótimas - Responderam os garotos juntos.
- A gente se vê na escola Hagrid!- Gritou Harry, pois eles eram empurrados pela multidão que se dirigia ás carruagens.
Quando entraram na carruagem, Hermione parecia prestes a desmaiar novamente: Harry nunca vira Mione tão pálida.
Porém, quando passaram pelos altos portões da escola ladeado por javalis alados, Harry sentiu uma felicidade enorme, como não sentia havia tempos: Estava em casa.
Quando entraram no Salão Principal, passando pelas lustrosas portas de carvalho e pelo teto encantado (Hoje refletindo um céu negro pontilhado de estrelas) qualhado de velas flutuantes, porém, foram chamados por alguém ás suas costas:
- Srta. Granger!- Gritou a voz de uma mulher, para se sobrepor ao barulho e algazarra da multidão.
Harry, Rony e Hermione se viraram pra olhar e deram de cara com a Profª Minerva McGonagall, a diretora da Grifinória. Era uma mulher de aspecto severo, que usava óculos quadrados, um casaco de tecido escocês e os cabelos presos firmemente no alto da cabeça em um coque.
- Srta. Granger, o diretor quer vê-la agora.
- Já vou professora.
Ela lançou um olhar nervoso e aflito para Harry e Rony ficando, se é que era possível, ainda mais pálida antes de seguir a professora pelo corredor que levava á sala atrás da gárgula.